Filme: A Batalha do Chile III


Gênero: Documentário

Duração: 80 minutos

Sinopse

A trilogia “A Batalha do Chile”, do cineasta Patricio Guzmán, é um documento histórico com imagens de época que resgata, por um lado, a experiência do governo de Salvador Allende, a crescente organização e mobilização popular, a participação destacada do proletariado e, por outro, toda a orquestração do golpe de Estado, com a cínica manipulação das camadas médias pelas forças mais conservadoras do Chile e pelo imperialismo. O documentário se constitui de uma apaixonada defesa da Unidade Popular, pois segundo Guzmán “O cineasta não é um observador neutro e desapaixonado da realidade. É um participante ativo.” e “No Chile, demoliu-se tão sistematicamente a imagem do governo Allende nos últimos 30 anos que tenho a impressão de que o filme é a única prova de que aquilo existiu”. No documentário “A Batalha do Chile”, os filmes e relatos dos mais importantes acontecimentos da luta de classes daquele período retratam de forma esclarecedora todo o processo de preparação do golpe de Estado, da perspectiva das classes dominantes chilenas associadas ao imperialismo de recorrer à violência, ao terror de Estado para abafar a crescente mobilização popular. E exemplificam a análise marxista do papel do Estado na democracia burguesa que aponta para a utilização pela burguesia dos aparelhos ideológicos de Estado e, na hora decisiva, a utilização do aparelho militar-repressivo na defesa do poder de Estado e de seus interesses de classe, para derrotar o proletariado e seus aliados através da violência. Para a vanguarda revolucionária é importante analisar as experiências de luta pelo socialismo no Chile e tirar as lições, a partir do ponto de vista do proletariado, da teoria revolucionária, do marxismo-leninismo, e deste ponto de vista combater no interior do campo popular a ilusão na democracia burguesa, no “caminho pacífico para o socialismo”, em uma “revolução pacífica”. E, a partir daí, reconhecer a necessidade permanente de analisar a conjuntura nacional e internacional, os reais interesses de classes em jogo, a correlação de forças, o verdadeiro estágio da luta de classes e, de acordo com a perspectiva revolucionária, o proletariado construir uma ampla unidade das classes dominadas, acumulando forças, atraindo setores significativos das camadas médias, denunciando, combatendo e isolando os seus inimigos de classe e, desta forma, educar politicamente as massas populares para a tomada do poder.



Comentários

Preencha os dados abaixo para comentar