Filme: Call the Midwife - 2ª temporada


Gênero: Séries de TV

Sinopse

É inegável que, em linhas gerais, a qualidade das séries de TV tem subido vertiginosamente. E também é inegável que cada vez assuntos mais sérios e mais pesados têm sido abordados com constância. E isso chega a tal ponto que, com exceção das sitcoms (e, mesmo assim, só no caso de algumas), é razoavelmente raro o espectador se deparar com séries leves, daquelas que arrancam sorrisos e, porque não, lágrimas de felicidade. Call the Midwife, série produzida pela Neal Street Productions, de Sam Mendes, para a BBC, é uma dessas séries feel good, criadas para nos dar esperança, alegria e, ao mesmo tempo, nos educar. É uma combinação que seria fadada ao fracasso em nosso mundo cínico, não fosse o excelente trabalho da produção, encabeçado pela showrunner Heidi Thomas, com base na autobiografia de Jennifer Worth, sobre sua vida como parteira em pleno e paupérrimo East End de Londres (mais precisamente, em Poplar), no final da década de 50. O trabalho de reconstrução história, desde os efeitos especiais, passando pela reutilização de prédios históricos e pelo perfeito figurino, é irretocável. E foi essa característica somada ao elenco encantador formado por jovens atrizes cativantes (as enfermeiras e uma freira) e experientes atrizes que dão peso à produção (as freiras mais velhas), além de Vanessa Redgrave narrando os capítulos como a versão mais velha de Jenny Lee, a parteira principal, vivida, aos 22 anos, por Jessica Raine, que alçou Call the Midwife, na primeira temporada, ao patamar de série nova de maior sucesso da BBC One desde 2001.



Comentários

Preencha os dados abaixo para comentar